Filmes | Escrito na Madrugada

/ Filmes

27jan 2016

Creed: Nascido para lutar – e fazer marmanjos chorarem

Postado por às em Filmes

O primeiro filme da série “Rocky” chegou aos cinemas em 1976 escrito e estrelado por Sylvester Stallone e faturou três estatuetas do Oscar no ano seguinte, melhor filme, melhor diretor para John G. Avildsen e melhor edição, além de outras sete indicações que acabou não levando.

Apollo-Creed-Rocky

Além de ser uma série com uma das trilhas sonoras mais marcantes da história, Rocky sempre trouxe a tona temas sérios como criminalidade, superação, problemas familiares, financeiros, até a guerra fria já foi pano de fundo para a série com Rocky IV.

anw46mxe

Agora, foi a vez do diretor Ryan Coogler trazer Creed – Nascido para Lutar. Uma homenagem que funciona como remake, reboot, continuação, tudo em um só filme. Aqui Rocky não é mais o centro das atenções, mas sim o Adonis Johnson, filho bastardo de Apollo Creed, rival e amigo de Rocky nos filmes originais. O personagem de Johnson, interpretado por Michael B. Jordan sonha em seguir os passos do pai que morreu antes dele nascer, mas ele se recusa em usar o nome Creed e deseja construir o próprio legado, para isso pede para que Rocky o treine. Jordan convence no papel e mostra todo o talento do jovem ator, além de Sly estar impecável reprisando seu melhor personagem da carreira. Rocky Balboa é trazido à vida mais uma vez com maestria fazendo com que a indicação de melhor ator coadjuvante fosse feita à Stallone, estamos na torcida.

zs97nohb

Minha relação de amor com Rocky vem de berço, não me recordo quando foi a primeira vez que assisti a algum filme da franquia, não lembro se assisti na ordem e muito menos quantas vezes já assisti cada um dos seis filmes (fora Creed) já lançados, mas uma coisa eu sei, foi Rocky que me ajudou a não desistir em muitos momentos da vida (não que ela seja muito longa, mas hei! Cada um com seus problemas) e foi graças a Rocky que sonhei durante anos em ser pugilista, e ainda quero praticar boxe hoje em dia, só para desestressar mesmo.

Mais do que um filme sobre Boxe, Rocky ensinou gerações a não desistir perante o primeiro fracasso, e que mesmo com as derrotas podemos aprender com nossos próprios erros e que quando tentarmos novamente, melhor preparados, o desafio já não será mais tão assustador. Reza a lenda, que em meu último porre eu gritava coisas como “Se o Rocky não desistiu eu também não vou desistir!”, e “O Apollo morreu lutando!!!!! Todos temos nossas lutas!!!” e não duvido que tenha feito isso mesmo, considerando que essa franquia sempre mexeu com meu emocional.

dsqm01kv

Assistir a Creed no cinema, com a companhia perfeita, diga-se de passagem, foi uma das melhores experiências dos últimos tempos. A brincadeira com a trilha sonora que nos deixa na expectativa, aguardando ouvir a clássica música tema da série que toca no momento perfeito, a fotografia impecável, as cenas brilhantemente coreografadas e filmadas com habilidade excepcional, fizeram com que eu voltasse a ter doze anos novamente, dei socos no ar, vibrei e acompanhei baixinho a torcida no coro de “Creed! Creed! Creed!” além de ter sentido um pouco de suor escorrendo dos meus olhos.

oh1xyjcz

Ah Rocky, como foi bom vê-lo novamente.

31dez 2015

Respeito é bom e eu gosto!

Postado por às em Convidados, Filmes

Falemos um pouco desse tal de respeito então.

Ainda temos com frescor em nossas memórias a obra-prima que foi Mad Max – Estrada da Fúria, filme que trouxe George Miller de volta aos holofotes, trazendo sua maior franquia de volta. A decisão da Warner de trazer o diretor original pode ser considerada uma das mais acertadas, pois quem melhor para dar continuidade ao seu universo do que o próprio mentor? O filme além de ter sido brilhantemente construído, montado e editado, com seus efeitos práticos, personagens carismáticos e cenas de tirar o fôlego (nada que um bom fã da franquia já não esteja acostumado) ainda fez o principal, manteve o que já havia sido estabelecido nos filmes antigos, respeitou seu próprio universo e apesar de Max ter claramente menos importância que a Imperatriz Furiosa, o tom do filme permanece intacto.

Mad Max: Estrada da Fúria - A bilheteria fraca não reflete a opinião de fãs e críticos

Outros exemplos como Mad Max ainda existem, como o recém-lançado Star Wars – O Despertar da Força, que consegue agradar ao público antigo, apresentar a franquia para os mais jovens e ser diferente do original sem perder o embalo. É claramente uma continuação da trilogia original e prova de que J.J. Abrams sabe o que faz.

Temos Creed, que por mais que já tenha lançado lá fora chega aqui só ano que vem com a promessa de ser ao mesmo tempo uma homenagem e uma continuação a história do ícone Rocky Balboa (minha série de filmes preferida de todos os tempos a propósito) e acredito que vá conseguir.

Mas aí, nós temos coisas como Jurassic World, que conseguiu além de ser um filme essencialmente ruim, com efeitos visuais pobres (algo imperdoável hoje em dia) não manteve sequer o tom dos filmes originais. Eu sei que tem um monte de “Fan-service” no filme e aquela cena dos portões se abrindo no início foi até emocionante, mas as qualidades do filme acabam aí. Um filme conveniente, onde tudo o que acontece é facilmente explicado por “A criatura tem o DNA do animal x”. Sério isso? Sério que reduziram a série Jurassic Park a isso? O que é aquele personagem do Vincent d’Onofrio? A motivação dele é vazia, o carisma chega a ser negativo e tudo o que ele faz é ruim. Terminei de assistir com raiva da vida e é esse sentimento que nos é causado quando desrespeitam algo que gostamos.

Quem aqui entendeu as várias linhas temporais de “Exterminador do Futuro – Gênesis”? Eu não, e apesar de ter gostado do filme (não nem explicar o motivo), não deu pra engolir John Connor como vilão, ou o T-800 velho enfrentando sua versão recém chegada ao ano de 1984 (eu sei, essa cena ficou transante demais, apesar de tudo) ou T-1000 como ameaça-mor da parada até aquele momento! Até mesmo a própria criação do “Genesys” ficou estranha e simplesmente não combinou com o cânone.

O perdão por ter alterado e literalmente não ter dado intencionalmente importância para o que aconteceu nos filmes anteriores deve ser concedido a X-Men – Dias de um Futuro Esquecido, pois a intenção ali realmente foi rebootar sem ser um reboot, poder trabalhar novas situações sem precisar estar amarrado com o passado, trabalhar novos horizontes sem se preocupar com os absurdos e incoerências da primeira trilogia (é isso que dá a falta de planejamento). Esse recurso de viagens no tempo já foi muuuuuito utilizado nos quadrinhos, mas ainda é um conceito não plenamente estabelecido no cinema para esse tipo de situação, apesar disso, funcionou com maestria e Bryan Singer conseguiu cumprir seu objetivo em criar a ponte perfeita para X-Men Apocalypse.

Além de juntar as duas gerações de mutantes, o mais recente capítulo da franquia consertou os buracos e praticamente anulou X-Men 3 da história.

Esse é um sentimento visto em qualquer categoria de fã, mas nós temos tendência a ser um pouco ainda mais “cricas” com relação as obras que amamos. Eu particularmente ainda tendo a aceitar as mudanças feitas em relações a adaptações, sejam de quadrinhos ou de livros, afinal de conta é um novo universo que está sendo criado ali. Mas passamos anos esperando e acompanhando o desenvolvimento daquela obra que nos empolga e até nos tira o sono em algum momento, o mínimo que esperamos é que não sejamos insultados e que nossas obras favoritas sejam honradas!

28out 2015

5 filmes de terror/comédia | Mês do Terror

Postado por às em Filmes, Vídeopost, Vídeos

Mais um vídeo super legal desse especial “Mês do Terror”!! E nesse vídeo dou 5 indicações de filmes (mais uma série!) de Terror/Comédia!! Veja o vídeo as sinopses:

é o fim

This is the end (É o fim)

Os grandes amigos Seth Rogen e Jay Baruchel vão em uma festa na casa do ator James Franco, que reuniu diversas celebridades no local, como Jonah Hill, Rihanna, Jason Segel e Emma Watson. Tudo corria bem até que um aparente terremoto se revela como sendo o dia do julgamento final. Rogen, Baruchel, Franco, Hill, Danny McBride e Craig Robinson acabam se vendo presos no local na torcida para que o mundo pare de acabar do lado de fora.

sharknado

Sharknado

Uma grande tornado surge no litoral da Califórnia… O fenômeno natural começa no mar e interfere na vida de milhares de tubarões, que são sugados do oceano e arremessados por toda Los Angeles. Acaba sobrando para Fin (Ian Ziering), sua esposa April (Tara Reid) e mais um grupo de amigos a missão de enfrentar os animais e impedir que o tornado causa ainda mais estragos.

burying the ex

 Enterrando minha ex

Trata-se de um filme bem pequeno, com apenas quatro personagens principais e alguns poucos figurantes. A própria equipe técnica é reduzida, como você poderá notar com o fato dos créditos finais serem bem mais curtos do que o padrão em Hollywood. Por sinal, há uma cena nenhum pouco importante após os créditos. Enterrando a Ex (na tradução literal) é um longa bobinho e divertidinho, contando com menos de uma hora e meia de duração. Vai te fazer rir e funcionará como passatempo.

Todo Mundo em Panico 3

Todo mundo em Pânico

Das mentes dos criadores do seriado da TV americana “In living color” surge o primeiro thriller-comédia, em que adolescentes apavorados fugindo de maníacos assassinos são o pretexto para uma série de piadas envolvendo todos os recentes filme de terror, da série “Pânico” até “O sexto sentido”, passando ainda por outros grandes sucessos do cinema, como “Matrix” e “Os suspeitos”.

dvd-os-fantasmas-se-divertem-1-tiragem-impecavel-raro-14565-MLB3654342766_012013-F beetlejuice

Os fantasmas se divertem

Após morrerem quando o carro deles cai em um rio, Barbara Maitland (Geena Davis) e Adam Maitland (Alec Baldwin) se vêem como fantasmas que não podem sair da sua casa de campo na Nova Inglaterra, pois antes que possam ganhar suas asas têm que ocupar a casa como fantasmas pelos próximos cinqüenta anos. A paz é rompida quando Charles (Jeffrey Jones) e Delia Deitz (Catherine O’Hara), um casal de novos-ricos, compra a casa. Mas os Maitland são inofensivos como fantasmas e os esforços para espantar os compradores acaba em fracasso. E se o casal não fica apavavorado, Lydia Deitz (Winona Ryder), a excêntrica e dark filha deles, pode ver e falar com Barbara e Adam, que contratam os serviços de um Beetlejuice (Michael Keaton), um “bio-exorcista”, para apavorar os moradores, apesar de sentirem simpatia por Lydia. Mas logo a situação foge do controle.

+ Bônus:

Scream Queens

Scream Queens

Falei de Scream Queens no último post e vídeo do canal!! Confira tudo aqui.

iZombie

iZombie

Olivia “Liv” Moore (Rose McIver) tinha bochechas rosadas, era disciplinada, médica residente com sua trajetória de vida completamente traçada… até a noite em que ela foi a uma festa que transformou-se, inesperadamente, em um frenesi zumbi. Agora, transformada em morta-viva, ela conseguiu um emprego no departamento legista para ter acesso aos cérebros de que deve se alimentar para manter sua humanidade. Mas, a cada cérebro que ela consome, ela herda a memória que nele habitava.

Espero que vocês tenham gostado do vídeo e das indicações!! 😀 Não deixe de comentar comigo o que você achou, ein? Adoro discutir sobre essas coisas <3 Obrigada por ter lido e assistido!!

Agradecimento muito especial para minha amiga e colaboradora aqui do blog: Kelly <3, que me ajudou MUITO no post! Agradeçam à ela por esse vídeopost estar saindo ainda esta semana ein?! 😉

Beijooooo! Até mais!

Fonte das sinopses: adorocinema
12jun 2015

3 filmes para solteiras(os) assistirem (no Dia dos Namorados)

Postado por às em Filmes

E dia 12 chegou… Um dia normal (para todos) mas especialmente para as solteiras e os solteiros! Como eu disse no post anterior, esta data foi feita especialmente para contentar o comércio e fazer as pessoas que namoram… Gastar. Mas sabe, ser solteira também tem seu lado bom e não é necessariamente sinônimo de infelicidade, certo? Para passar o tempo, indicarei alguns filmes para você (solteira(o) ou não, vai) assistir! Aposto que você vai se divertir!

As bem armadas

As bem armadas

Ashburn (Sandra Bullock) é uma agente especial do FBI extremamente competente, apesar de ser mal vista pelos colegas de trabalho por ser arrogante e antipática. De olho em uma promoção no trabalho, ela pede ao seu chefe (Demian Bichir) que a encarregue da investigação de um poderoso traficante de drogas em Boston, cuja identidade é desconhecida. Entretanto, logo ao chegar Ashburn decide interrogar um pequeno traficante preso por Mullins (Melissa McCarthy), uma desbocada policial local que não aceita ordens de ninguém. Não demora muito para que as duas batam de frente, mas elas precisam encontrar um meio de trabalhar juntas.

Não me caaaaaanso de ver!! Já assisti esse filme TRÊS vezes e sempre ri MUITO!! Um dos meus filmes de comédia prediletos! Com a Sandra Bullok e a Melissa, ainda? Gente!! <3 Trailer aqui.

A passagem

A passagem

Sam Foster (Ewan mcGregor) é um psicólogo que trabalha numa prestigiosa universidade americana. Certo dia um de seus jovens pacientes o procura para dizer que planeja cometer suicídio em breve. À medida que Sam estuda o caso, o rapaz começa a fazer estranhas e terríveis profecias que se realizam. Aterrorizado, Sam tenta ajudar seu paciente e impedir o suicídio de todas as maneiras, mas acaba se envolvendo numa misteriosa jornada da alma.

Assisti esse filme já faz um tempo, mas lembro que adorei esse filme e é bem diferente do que eu achei que seria – não dava nada!! Suspense bom, viu? Trailer aqui.

Lucy

Lucy

Quando a inocente jovem Lucy (Scarlett Johansson) é forçada a transportar drogas dentro do seu estômago, por acaso, ela acaba absorvendo as drogas, e um efeito inesperado acontece: Lucy ganha poderes sobre-humanos, incluindo a telecinesia, a ausência de dor e a capacidade de adquirir conhecimento instantaneamente.

Quem não gosta de filmes com mulheres mega poderosas (e lindas, como a Scarlett) ganhando poderes sobre-humanos e combatendo muita gente de uma forma badass? Confesso que não sou uma grande fã de filmes de ação, mas esse… Muito muuuuuuuuuuuuito bom!! Trailer aqui.

 

Escolhi um de comédia, um de suspense e um de ação, todos que eu sempre recomendo e gostei muito de assistir! 😉 Espero que vocês gostem das dicas (não só para o dia 12 mas para todos os dias do ano!!)

10fev 2015

Academia de Vampiros: O beijo das sombras (Livro e Filme)

Postado por às em Filmes, Livros

No dia 14 de dezembro ganhei alguns livros e entre eles o Academia de Vampiros: O beijo das sombras, inclusive comentei sobre ele neste post aqui. Depois de ler alguns livros que já estavam na minha meta de leitura (Como Mentirosos, Eleanor & Park e O Substituto – Minhas leituras de janeiro), decidi começar a ler o AV (Academia de vampiros). Aliás, obrigada à todos que me deram livros como presente de niver, vocês sabem que eu amo! Principalmente a Mari, que me deu o livro do qual este post falará.

Escrito Na Madrugada | ENM  Academia de Vampiros

O livro conta sobre a perspectiva da guardiã Rose (Uma dampira: Uma mistura de humanos com vampiros, que seu dever é proteger um Monroi – vampiros “normais”) e sua princesa-vampiresca-protegida, Lissa. Após dois anos fugindo da Academia de Vampiros, elas são capturadas e trazidas de volta à escola São Vladmir. E suas rotinas voltam a ser como era – ou talvez não. Além de ter que lidar com problemas comuns como adolescentes normais, viver suas paixões e sofrer as consequências da fuga, coisas estranhas acontecem ao redor das duas e estas questões trazem um tom de suspense muito intrigante pro livro. A ligação entre as duas – Rose sente alguns sentimentos e Lissa, pode ver algumas coisas pela visão dela – ajudará ou atrapalhará?

Achei o “mundo” criado pela autora Richelle Mead muito bem feito, embora alguns momentos tenha sido difícil “decorar” algumas informações. A pesar de ter me cansado um pouco de ler livros sobre o universo vampiresco (e suas vertentes, dependendo do que cada autor cria para ~seu mundo~), Academia de Vampiros me fez voltar a ter o gosto pela coisa! A narradora Rose, muito irônica e sarcástica torna a leitura dinâmica e interessante. No começo achei que precisava de um pouco mais de ação no livro, mas minha opinião final é que o livro é da autora e ela faz o que ela quiser! HAAHA Então acho que ela conseguiu escrever a dose certa e se você me prometer que a série continua assim, eu gostaria muuiiiiiito de finalizá-la! Quaaaaaaaaaaase comprei o box (Mesmo tendo o 1º livro com a capa diferente do resto, que aliás, acho que eles deviam trocar todas as capas *o* ) no submarino outro dia, cada livro estava por 10/11 reais cada! Quase não resisti! Única crítica em relação à edição física: As últimas páginas, o último capítulo se não me engano, a diagramação muda e as letras ficam menores. Pressa para terminar o livro, gente? :/

Escrito Na Madrugada | ENM  Academia de Vampiros

Com relação ao filme… Não sou de julgar o filme x livro. Não completamente. Eu sei que é difícil colocar um livro, descritivo, que a pessoa passa tempos lendo ele, na telinha com tão pouco tempo e – na maioria das vezes – muita, mas muuuuuita informação! Principalmente quando um livro se torna série… Aí pode esquecer, e pense os dois como duas coisas totalmente diferentes e praticamente escritores diferentes, sem ligação alguma.

Evitei até procurar sobre a série no google para não ter mais imagens à minha cabeça, do que a própria capa do livro. E quando o finalizei, assisti o filme. Minha decepção foi grande logo do trailer, mas pensei: “Bom… É trailer. Às vezes eles fazem essas coisas, invertem os fatos, mostram coisas que não existem e os atores/atrizes não conseguem se provar… Né?!”

Pois é… Reviraram o livro, trocaram coisas, não escolheram bem alguns atrizes e atores (A Rose eu gostei, a Lissa… Não seeeei… Aaaacho que gostei, a Natalie eu gostei!) e os elementos de mistério não tem nada a ver com o livro. Uma personagem que no livro se chama Camille no filme, Camilla. Nome lindo, só dizendo, mas não precisava né?! Com muito mais ação e sangue falso – e não muito bem feito – os efeitos deixaram a desejar. Já o tom humorístico adotado pela atmosfera do filme, se encaixou perfeitamente com os sentimentos que eu senti em boa parte do livro, já que a personagem é divertida e sarcástica como eu já disse. Ah! Comecei assistindo o dublado, mas não aguentei! Tive que me debater para achar legendado 😛 – que é como eu prefiro ver os filmes.

Então que tal assistir ao trailer?

O que achou da resenha do livro e do filme de Academia de Vampiros: O beijo das sombras ? Ficou com vontade de ler e assistir? Pois eu recomendo! 🙂

Beijos e até o próximo post!

UP!