Textos | Escrito na Madrugada

/ Textos

03set 2017

#30DiasDeEscrita – Day 3: Ficção de romance

Postado por às em Fictício, Textos

Day 3 – Um gênero que você nunca tenha escrito antes

Estávamos abraçados assistindo How I met your mother, novamente, como sempre gostamos de fazer. Enquanto acariciava seu braço, apoiada em seu ombro, notei.

– Seu braço está com uma coloração diferente… Está se sentindo bem?
– Estou.
– Tá meio verde, mor. Não sentindo nada estranho? – Toquei seu braço, verifiquei se a palma da minha mão também não ficava verde. Senti sua temperatura e até o cheirei. Ele riu, reagindo à piada da série.

No dia seguinte, depois que ele saiu do banho percebi que não era só o braço que estava verde, haviam grandes manchas pelo corpo todo. Fiquei boquiaberta.

– Você não vai ao médico?
– Porque deveria?
– Porque está verde!!

Ele desdenhou.

Algumas semanas se passaram e mal conversávamos sem que eu ou ele ficássemos nervosos. Eu vi sua pele criar uma textura esquisita, quase gosmenta. Seu olhar mudou e às vezes achava que era só comigo. Eu não fazia ideia do que ele estava se tornando! Eu não sabia como lidar, não sabia como controlar meus sentimentos em relação à tudo isso.

Estávamos nós sentados na cama, cada um em um canto. Seus olhos estavam basicamente se unindo em um só, assim como seus dedos estavam se tornando apenas 3 dedos compridos em cada mão, sua pele além da textura e cor – cheirava diferente e sua maneira de expressar já não era mais a mesma.

 – Lá vem você falar essa língua esquisita de novo, eu não entendo! Tente se comunicar comigo! Você nem ao menos tentou ir ao médico, tentou se ajudar ou tentou ME deixar TE ajudar. Eu não consigo te ajudar sozinha. To indo embora. 

Juntei todas as minhas forças, nossas histórias, nossas lembranças, nossas memórias, nossos momentos, nossa relação, todas as minhas energias e coisas… E parti. Caminhando com minhas coisas nas costas até minha casa, algo me atingiu. Meu corpo nunca doeu tanto. Você me atropelou e fugiu. Meu coração nunca ficou tão em pedaços. Mas logo à frente, mesmo estando desnorteada sei o que vi: Parou o carro e esperou que te levassem embora. Uma grande luz se iluminou sobre seu corpo modificado e eles finalmente te levaram embora.

Me deixou desolada e agora conto essa história numa cama de hospital.

Mas vou melhorar…

Título: Me apaixonei por um ET

 

30ago 2017

#30DiasDeEscrita – Day 2: Estamos retrocedendo?

Postado por às em Pessoal, Textos

Day 2 – Escreva sobre algo histórico | Estamos retrocedendo?

Quando abro a internet, muitas coisas me lembram épocas históricas perturbadoras. As pessoas ao mesmo tempo em que têm um espaço para expressar seus pensamentos de forma livre, não podem ser completamente livres dos pensamentos expressados pelos outros. A era de caça as bruxas parece que nunca realmente acabou. Não sou do tipo que acredita que homosexualidade, questões de gênero, feminismo etc só estão começando a existir agora. Não! Sempre existiram mas, assim como eu penso, chegou a hora de se libertar! Com tanto avanço na ciência, tecnologia e – com certeza em alguns – jeitos de pensar, já era hora de percebermos que todos somos diferentes. Ninguém é igual à ninguém. E que bom que isso não acontece! O mundo não andaria pra frente se fôssemos todos médicos, engenheiros, designers, etc. Temos as nossas diferenças pois precisamos das mesmas.

Óbvio que é compreensível pessoas mais velhas com tais pensamentos repressivos, cresceram com diálogos dizendo que tudo isso era errado e provavelmente tentarão educar seus futuros familiares ao mesmo tipo de raciocino. Porém, quase 90% dos Brasileiros (vou focar no Brasil. Preconceito existe em todos os lugares mas ainda vivo aqui e ainda vivo a realidade brasileira) possui internet, possui acesso à informação. Muito fácil sair da caixinha e perceber que homossexualidade não é motivo pra torturas, tatuagens não significa que a pessoa será presa ou não terá futuro, que a mulher nasceu para servir o homem.

  “Ai Camila você não pode falar sobre isso porque não vive”
MAS OI?

Eu tenho OLHOS. Eu SINTO. Vejo meus amigos passarem por preconceitos A B S U R D O S que me fazem pensar que não estamos espiritualmente vivendo na mesma época que esta pessoa preconceituosa. Meu querido, acabou suas desculpas pra isso. O próprio idioma interfere um pouco quando queremos nos expressar – porquê existir elE ou elA, falta algo mais! Já está na hora de nos colocarmos em frente às portas de câmaras de gás, em frente à fogueiras injustas, em frente e enfrentando essas opiniões mesquinhas. Muitas profissões foram criadas, outras deixaram de existir. Porque você acha super divertido receber pornografia inadequada por um tijolo digital na sua mão e acha errado duas pessoas do mesmo sexo se amarem e respeitarem, criando famílias – oportunidades para tantas crianças querendo amor pelo mundo! A bandeira que eu seguro é a bandeira do amor. E nele você vê o respeito, carinho liberdade de expressão, bondade, cumplicidade, empatia. Tudo o que peço e espero… É que continuemos à partir de 2017, que não retrocedamos. E então poderemos marcar o século XXI como um dos mais revolucionários, o século que mudou toda a história.

 

Música: Pabllo Vittar – Tara

 

29ago 2017

#30DiasDeEscrita – Day 1: Descreva um lugar

Postado por às em Pessoal, Textos

YEY!!! Vi esse desafio no pinterest, eu ando super empolgada e não resisti: QUERO FAZER! Bora?! Não sei se vai dar pra ser todos os dias, PORÉM… Escrever 30 textos já vai ser muito legal né? Pra mim e para o blog. Espero que vocês gostem.

 

Day 1 – Descreva um lugar

Na parede aproximadamente 10-15 polaroids penduradas por pisca-piscas. Luzes fazem ela feliz, seus olhos brilham.  Nas fotos momentos que a marcaram de forma inexplicável, muitas delas substitutas de lembranças que doem demais para permanecerem no local. Em sua escrivaninha o computador (vulgo “vida”) que batalhou tanto para conquistar, um C bem iluminado e um abajur de unicórnio rosa. A mesa vive bagunçada de cadernos, canetas para escrever e desenhar, chá e remédios. A cima, uma TV quase inutilizada.

Na estante branca em forma de cristaleira à esquerda, alguns livros ganhos, livros lidos, livros pra ler, bichinhos de pelúcia, Pop Funkos e fotos. Do lado direito sua primeira estante, vermelha como ela, amorosa e acalentadora como ela. Cheia de livros, cadernos, manuais e lembranças. Dois filtros do sonho que ganhou de duas amigas especiais anos atrás. Ela sente saudade.

Continuando o sentido horário sua porta preta tem história, assim como a parede cheia de recortes de revista, fotos antigas, letras de música, desenhos e todas as formas que ela pudesse se expressar ali. Como uma tatuagem. Seu armário com roupas que coleciona e outras que não consegue se desfazer. Seu espelho de meio corpo que não enxerga o certo, suas bagunças de penteadeira – maquiagem, perfume, remédios… Sua cama, geralmente decorada com muitos cobertores (sente tanto frio!) vermelhos. A parede em cima da mesma muito bem pensada e feita com muito amor. Molduras com ou sem artes, espelhos. Tudo que representa uma entrada, uma saída, a exposição da verdade.

A prateleira em forma de “jogo da velha” com seus CDs mais antigos, livros didáticos de Design e criatividade, mais algumas fotos. Sua mesa de cabeceira branca, um abajur que detesta e alguns itens essenciais e claro… Remédios. Suas cortinas vermelhas cheias de personalidade.

Ao cheiro das velas cítricas, ao som de “Ice Dance – Danny Elfman” (trilha sonora de um dos seus filmes preferido), na cadeira desconfortável, envolta do seu mundo, da sua forma de expressar, dos seus remédios, de todas as coisas diferentes que possui (não tem nada normal aqui) e de sua cabecinha cheia de ideias.

Yep.

Meu mundo.

Músicas: “Ice Dance – Danny Elfman” (Eu sei que pode ser errado mas gostaria de ser enterrada ao som dessa música D: )

“Intro – The XX”

10fev 2017

Como resgatar a autoestima

Postado por às em Comportamento, Pessoal, Textos

Não preciso nem dizer que minha autoestima sempre foi nível pós-sal. Por inúmeros motivos, alguns bem claros ou outros que talvez nem eu  mesma saiba. Muitas vezes não me olho no espelho. Aquele olhar de verdade, não aquele só pra checar se o cabelo não tá parecendo o Chewbacca e sair para algum compromisso. Às vezes não quero nem me arrumar pra sair. Às vezes não aguento e não aceito um elogio.

Mas isso não pode ser rotineiro, nem durar por muito tempo.

COMECE  DE DENTRO PARA FORA – a etapa mais crucial

Eu comecei repetindo para mim mesma e para os que estavam ao redor “Eu sou feia, mas sou legal.”(Por favor, leia até o final do post). Comecei a perceber coisas bacanas na minha personalidade, como isso afetava à mim e aos outros. E comecei a valorizar essas qualidades. Se para você parece não haver 1 qualidade, então comece a procurar formas de poder trabalhar em melhorar esses “defeitos” (talvez seja o demoniozinho da baixa-auto-estima falando tá?) – e boooora! Nada de ser orgulhosa – esse é o piooor defeito do ser humano. Não vai ser de uma hora para a outra que você irá mudar, são pequenos exercícios que a gente se esforça para completar, com uma grande recompensa no final! No que eu sou boa? (Se não sabe, faça uma lista de coisas que as pessoas ao redor de você fazem e bora testar uma à uma!!) Que efeito eu causo nos outros? Como  eu me vejo? Eu conseguiria conviver com alguém como eu?

NÃO SE COMPARE COM OS OUTROS

O seu DNA é ÚNICO. Pode ser clichê mas é uma das maiores verdades da vida: Só existe UMA você. Podem existir vários estilos parecidos mas ninguém vai ter a mesma experiência de vida como a sua.  Só tem uma vozinha na sua cabeça (eu espero :O) e ela é só sua. As coisas que você viu, experimentou, passou por, almeja, gosta, não gosta, etc, é o que fazem você ÚNICA. Tenha referências, mas não inveje: Você é você. E isso basta para ser maravilhoso!!

BLACK MIRROR

Abre espaço nesse espelho embaçado! De vez em quando é necessário pelo menos que você se esforce à se enxergar de verdade naquele espelho. Que tamanho são meus lábios? Que tamanho de testa eu tenho? Qual o formato do meu nariz? E as cores dos meus olhos? Meus cotovelos, joelhos, coxas, tornozelos… Quantas pintinhas tenho pelo corpo? Qual é meu tom de pele? Nada de negatividade. Pense de forma imparcial, observe.

Numa dessas você vai descobrindo seu jeito e também o que fica melhor em você.

Não adianta eu mentir aqui pra ti, que está lendo este texto agora e dizer “use qualquer coiiiisa, não se preocupe com tal coooisa”.  Não. Acredito que buscar a aceitação e uma boa autoestima depende de achar o que é melhor pra você. Conforme os anos vão passando a gente vai sabendo o que faz bem pra gente e o que é prejudicial. Eu, por exemplo, não posso deixar de dormir bastante; não posso abrir os olhos de manhã direto para claridade; nem posso deixar de tomar muita água! E você?

Além de hábitos, procure por produtos que vão te deixar mais feliz consigo mesma sejam maquiagens, produtos para o cabelo, hidratantes para o corpo com seu cheirinho preferido, iluminadores maravilhosos, sombras com brilho, etc. Tudo que realce sua beleza! Vai testando.

Rasgaram sua autoestima por ANOS, não é em uma (1) noite que você vai juntar os pedaços!

Separe noites para “cuidar de si” (adoro essas noites, são muito relaxantes e revigorantes), hidrate seu cabelo, tome sucos, chás, um banho mais demorado, tudo que for mais saudável e ajudar seu corpo – e você! – à se sentir melhor! Nosso corpo é feito de feitos e respostas – teste uma noite caprichada  dessa e depois me conta se você não se sentirá melhor!

Noites testando maquiagens novas (várias blogueiras de maquiagem no youtube), o que é melhor para sua pele, olhos, formato do rosto, cor de roupa, escola ou evento, etc. Não tem problema, maquiagem também ajuda à levantar a autoestima! Você se transforma, se cuida, faz bem pra você. Mas lembre-se: Tente descobrir quem você é por trás disso tudo e valorize-se! Claro, quanto menos maquiagem, melhor e você vai entender isso depois de um tempo. Penteados novos – e loucos! – para praticar no seu cabelo! Tem muuuitas referências no pinterest, divirta-se!

SELFIES

Nada de se esconder atrás das câmeras, fugir ou se fingir de morta! (As famosas não recusam tirar fotos com os fãs – e olha que há SEMPRE a chance de sair um bagaço né?! kkk Mas aí é que tá: Não adianta pedir pra tirar 300 vezes a foto: É você! Você é isso! Você é esse sorrisão escandaloso ou esse sorriso tímido! Você e SÓ você!!) É hora de testar. Seu melhor ângulo, seu melhor sorriso, seu melhor olhar.  Depois você vai perceber que isso tudo sempre esteve aí, você só precisou se esforçar um pouquiiinho para reencontrar! 😉 <3 Liga o som, ache uma luz boa e muitas muitas muitas selfies, não precisa nem postar depois. Daqui um pouquinho sentirá vontade de mostrar pro mundo uma “nova-eu”. (Ou  mande no grupo para as amigas!!) Se isso não acontecer tudo bem, ninguém é obrigado HAHA!

Junte todos esses ingredientes, adicione o “tempo“que precisar e… Conheça-se de novo! 🙂

Lembre-se: Em nenhum momento comentei no post que você está se observando, descobrindo, arrumando, melhorando para os outros… É tudo você! Por você! <3 

 

Playlist para todos estes momentos:

 

08maio 2016

Aleatorious Amorosous

Postado por às em Pessoal, Textos

Sempre fui aquela menina romântica, que quer fazer as pessoas rirem, que quer manter as relações em bom humor e resolver tudo com a verdade e sem muitas brigas.  Eu posso dizer que sempre me dediquei muito. Se eu estou com alguém, sou inteiramente daquele alguém. Tenho meu jeito de dizer o que gosto e não gosto, tenho meus defeitos, obviamente. Alguns eu nem me toco que os tenho, mas não tenho problema que me digam gentilmente como melhorar. Não acredito mais em príncipe encantado, relacionamentos perfeitos ou caras que não fazem coisas de… caras. Perdi minha inocência há tempos. Perdi minha confiança há tempos. E tenho medo de ter perdido a capacidade de dizer “Eu te amo” também.

 

Quando se trata de relacionamento, me jogo de cabeça. E sei que muitas vezes posso ser trouxa. Mas no fim, amar depende muito da “trouxisse” mesmo. É ter paciência. É ouvir e deixar de ouvir muita coisa. É esperar. É fazer e dizer coisas por impulso. É ser bob@. É fingir que não tem mais nada de importante no mundo do que o assunto de interesse da outra pessoa – porque você realmente deixa tudo de lado para ouvir e não se importa nem um pouco! É necessário muita coisa. É conversa. Muita conversa. É sinceridade e honestidade.

Já não aposto todas as minhas fixas no “pra sempre” e estou de olho nesse negócio de 100% fiel. Talvez ainda não tenha vivido o suficiente pra acreditar na bondade das pessoas. Afinal, sei que eu não faria isso, porque outras pessoas não teriam a mesma capacidade que a minha?

Não sei.

Quando se  trata de confiança, tenho os dois pés atrás.

Espero um dia poder depositar minha confiança 100% em alguém que valha realmente a pena. (Porque sim, às vezes acabo chegando nos 70% com algumas pessoas) Que os amigos sejam verídicos. E que eu não me arrependa disso. Só pra eu morder a língua. Essa é a primeira vez que quero estar errada.

large (4)

UP!