Textos | Escrito na Madrugada - Part 3

/ Textos

21jul 2015

O mar da alegria quase me afogou

Postado por às em Convidados, Pessoal, Textos

f9394880aaeccf195802197513d35857

Coração fremindo, pensamento tumultuado, totalmente perdida… Estado ao qual me encontro.

Há coisas que parecem perfeitas, e podem até ser aos nossos veres, que flui sem dificuldades, feito correnteza de riacho, mas por algum motivo, algo tem que dar errado, mesmo que seja a paranóia de que pode não dar certo… Mas como assim ?

Isso mesmo, o medo de que não der certo (o que é perfeito), faz com que desande!

Já fez isso consigo mesmo ? Então bate aqui e vá se tratar se ainda faz.

Como pode alguém detonar a própria felicidade por medo do futuro ? Sendo ele totalmente (ou quase) incerto! Pois é, o medo do futuro, medo de que não dê certo, me fez quase perder alguém que, bom… Esta (e continuará) sendo o meu -porto seguro- meu leme, minha âncora e minhas velas.

O medo de me entregar de cabeça, alma e corpo, me fez perder algumas coisas na vida ( isso que tenho apenas 19 lindas orquídeas), porém, dessa vez não perderei a dádiva com a qual fui presenteada. Pois o melhor da vida é ser ágape, e melhor ainda é recebe-lo como forma de gratidão.

Contudo, não me arrependo das coisas que perdi no passado por medo, pois me ensinaram muito, e esse “muito” está sendo útil agora, com a pessoa que vê um futuro ao meu lado, e facilmente tirou a neblina dos meus olhos para que eu pudesse ver também. Até porque, ser feliz sozinho é possível, mas descobrir a felicidade a dois é mais gostoso.

09jul 2015

Surpreenda

Postado por às em Pessoal, Textos

surpreenda

Eu aprendi uma coisa com relacionamentos (amorosos ou não) e eu tenho que perder a minha vergonha e passar essa mensagem adiante. Se não, do que adianta um blog? Inclusive o mesmo era pretendido a tais assuntos.

Pode parecer clichê, mas o amor é mesmo como uma flor. É lindo, mas não 100% do tempo; Deve ser regado, cuidado e cultivado para que dure muito e mantenha-se assim. E para isso, além de respeito, amizade, parceria, e o sentimento que ninguém consegue explicar mas definem como “amor”, é muito importante surpreender quem a gente ama!

E por surpresas, não estou dizendo: “Um baita diamante!” “Um carro novo!” “Ah, mulher só gosta de buquê de flores grandes. Dê mil rosas e ela vai amar!” “Homem só gosta de futebol, compra uma camisa oficial – ou qualquer coisa – do time dele, que ele vai amar!”.

Me refiro à surpresas pequenas, que fazem mais diferença do que você acha. Um abraço inesperado, um beijo roubado ou dado em um lugar inesperado, uma mensagem “Saudades!”, uma comida que a pessoa goste, uma ligação não marcada, um romance por link de música fofa, qualquer coisa simples mas que transmitem uma mensagem invisível: “Pensei em você.” Por que não? Não precisa ser algo caro. Quem sabe um bilhete com coisas que você gosta na pessoa mas nunca disse e nem sabe porquê. Quer simplificar ainda mais a mensagem? Que tal um “Eu te apoio.” “Eu estou contigo.” E para isso basta só um olhar. Cara, só um olhar! Quantos dinheiros você precisa para isso? E por que não fazer aquela ligação de domingo curtinha, ou o recado ‘formal’ no facebook, uma conversa cara-a-cara que comece com um sincero “Tudo bem com você?”, o qual se desenvolva para um conhecimento mais profundo do que a pessoa é. E o qual te deixe evoluir também. Divida sua música favorita, toque com ternura, abrace com força, sorria com sinceridade e pergunte com interesse. 

Quer melhorar ainda mais o dia das pessoas ao seu redor? Comece com “Bom dia!” 🙂 Te juro que não só a vida das pessoas pelas quais você sorrir e dizer isso vai melhorar, mas a sua vai se iluminar, as cores vão se abrir e as oportunidades também.

Torne as ideias caras em coisas simples, feitas por você. Como falei um pouquinho no post de dia dos namorados. A pessoa não vai pegar o presente e pensar: “Nossa, eu vi esse presente na vitrine esses dias, até que gostei”. Vai ser algo tipo: “Nossa! Muito emocionante e vou poder guardar comigo pro resto da vida e sempre, sempre lembrar!”. E não se esqueça, surpreenda não só nas datas comemorativas. Vale a pena dizer às pessoas o que você sente por elas, todo o tempo. E não apenas com palavras formuladas por alguém que decidiu inventar um alfabeto. Há uma coisa bem mais poderosa do que as palavras: Gestos. E o mais simples deles pode se tornar o mais inesquecível de todos. Não precisa ter valor $$, mas sim valor <3 <3 . Bem mais interessante e mais marcante do que qualquer diamante. Não perca tempo com nada na vida que não valha a pena, e surpreenda. As pessoas ao seu redor ou à si mesmo.

14maio 2015

Age como se me conhecesse

Postado por às em Pessoal, Textos

Madrugada

 

Você age como se sentisse falta.

É, de mim. De falar comigo. Mas nunca sequer comprovou isso, certo?

Pois é.

Não aparenta fazer muita questão, então não sei por que age como se me conhecesse, também.

Mal sabe que eu amo ler. Que meus melhores amigos têm sido os livros. E que tenho me tornado viciada em comprá-los, querê-los, etc.

Que eu não canto mais no chuveiro… E em lugar nenhum. Nem na frente do espelho.

Não sabe que eu to me encorajando a ler mais em inglês porque o sonho de ir morar no Canadá se intensificou milhões de vezes desde a última vez que conversamos. Na verdade nem sei se te contei sobre esse fato meu.

Não sabe se quer o que eu quero ser, onde quero chegar e provavelmente esqueceu de onde eu vim.

Não sabe quantas vidas já vivi ou quantas eu perdi. Mas é sua obrigação saber disso tudo? Não. Mas deveria saber do mínimo, se quiser fingir que me conhece, que ainda há uma conexão. Não há mais tanta impaciência, imaturidade, indisciplina, aqui. Há sonhos, quereres, poderes, e saberes! Mudou muito desde que você saiu, sabe? Mudou o tanto que deveria, para eu perceber que talvez nem antes mesmo de ir embora, você já não me conhecia mais. E sempre fingiu conhecer-me bem. Quem sabe até na primeira apresentação, você achou que me leu fácil fácil.

Você tava errado o tempo todo. E continua errando achando que me conhece.

Será que um dia essa fingimento poderá se tornar realidade e teremos que parar de fingir que você me conhece? Hm… Não. Não to afim de te deixar me conhecer nem um pouco de mim… de novo.

29mar 2015

Pausa para mim

Postado por às em Pessoal, Textos

Oi gente! Sei que faz um tempo e eu fiquei de dar uma palavra sobre o que estava acontecendo, né? Pois é. Juro que não esqueci de vocês, ta? E juro também que tenho motivos e “desculpas” boas.

Bom, talvez muitos de vocês não saibam mas eu estou no último ano da faculdade. 7º Período de 8. Pois é. Então, nesse ano da minha vida, muita coisa é definida ou se encaminha para isso, e os trabalhos vão ficando cada vez mais complexos e difíceis. Além disso, este ano começou a matéria obrigatória de estágio (mesmo eu estando estagiando há mais de um ano) e a coisa ta cada vez pegando mais! hahaha Acabei trocando de estágio, o que mudou muita coisa na minha vida. Na real, foi uma boa realização, sabe? Aconselho todo mundo. E eu estava procurando justamente um lugar em que eu aprendesse mais por mais que tivesse que “apanhar”. E toda mudança deixa a vida meio abalada no começo né? Então para mim esse tempo de estágio + aula, até “pegar no tranco” estava/está difícil. Ainda não aprendi a conciliar e talvez o problema seja que nem dê. Afinal, como já foi dito a faculdade têm exigido ainda mais. E o blog sempre foi um hobbie muito gostoso para mim e ainda quero continuar a tê-lo, inclusive nesses dias que fiquei sem produzir nada pro blog me fizeram uma falta imensa!!! Mas minhas forças, criatividades, atenções, etc etc estavam voltadas para outras áreas da minha vida e tenho que admitir: Era de extrema importância que eu fizesse isso. Não posso e nem quero ficar para trás e sofrer né galera? Ninguém quer. E essa é hora de aprender ainda mais, de aproveitar as oportunidades que a vida tem me dado – e sou muito muito grata por isso!!! Torço para que cada vez mais e mais oportunidades apareçam tanto para mim quanto para vocês, viu? Own!

Não vou fazer promessas de que as coisas voltem ao normal. Não posso, não seria justo. Mas como eu disse, minha vontade é de continuar ativamente com o blog, afinal me faz muito mais que bem! Porém, espero que entendam: Este ano, minhas prioridades são outras! Nota máxima no trabalho de conclusão de curso, é.

Escolhas que a vida nos obriga a fazer. Não vai ser a primeira vez e aposto que você já esteve nessa corda bamba também. Caso não passou, se prepare! Na verdade tudo isso é muito importante para nossa evolução, para nos definirmos como profissionais ou como pessoa mesmo. Nossas prioridades são os primeiros passos para chegarmos onde queremos né?! Fazemos escolhas o tempo todo, na verdade.

Espero que compreendam e principalmente, espero que eu compreenda e consiga arranjar tempo quando der haha. Afinal, me faz muito bem!

Então não deixem de me mandar “carinhos” nas redes sociais e nos comentários aqui do blog, ta? *-* 😀

Beijos!!!

instagram escritonamadrugada

 

 

FACEBOOK | INSTAGRAM | YOUTUBE

23fev 2015

We are strangers with some memories

Postado por às em Música, Pessoal, Textos

Tão estranho se deparar com alguém que não se têm mais a mesma impressão que tinha ha algum tempo. Principalmente quando a pessoa te conhecia muito muito bem, participava da sua rotina e era super próxima. Tão estranho receber uma resposta nova da pessoa ou ficar sem ela, depois de tanto tempo e de tanta coisas que passaram juntas. Dependendo do tempo e da distância que o relacionamento tomou, você mal se lembra desses momentos, só acaba lembrando ou porque se afastaram ou o sentimento principal do “relacionamento”. Como por exemplo: Pense em alguém distante. Um amigo de infância que nunca mais vira, ou um inimigo. Você lembra sobre o que conversavam exatamente? Lembra todas as características que a pessoa tinha? Mas você se lembra se era divertido, se o incomodava, ou episódios muito marcantes que às vezes chega a duvidar se realmente aconteceu ou se foi imaginação.

Engraçado como a gente consegue esquecer uma pessoa facilmente quando queremos mas muitas vezes nossos próprios cérebros nos pregam peças indignas. Poxa, você fica tanto tempo sem pensar naquela pessoa e do nada em algum momento bem inoportuno lá está ela no local onde não deveria estar. Engraçado também, como isso se aplica à várias coisas e pessoas. Acontecimentos tensos que se passaram, pessoas, lugares, coisas…

Oh, Céus! Todos aqueles segredos que você confidencializou! As partes mais profundas que mostrou. Os medos, os desejos, os anseios, os sonhos!

Como é simples pra pessoa esquecer quem você foi. E isso parece bem mais simples do que nós fazermos esse trabalho. Parece que pra outra pessoa foi como tomar água ou respirar ar. Já para você houve todo um processo de não conversar mais sobre, não passar nos lugares, se distrair. O que foi você para ela? Qualquer uma? E todas as vezes em que você teve que ceder ou as vezes em que planejou surpresas.

De repente em um dia normal você anda na rua pensando nos seus problemas, nos seus deveres e avisa um vulto conhecido. E de repente foi substituído. E de repente nem um oi você recebe, ou ao menos algum sinal de reconhecimento. Nada. E qual é o sentimento que sente, afinal? a) Indiferença, já que você também a esqueceu e até já arranjou outro alguém com quem dividir confidencialidades. b) Ciúmes, aquela pessoa já foi sua melhor amiga ou companheira, ou inimiga, ou qualquer coisa. c) Inveja, você já esqueceu e percebeu que a pessoa esqueceu com mais facilidade ainda, já arranjou até substituto!

E muitas vezes você manda – ou pensa em mandar –  uma mensagem. “Oi” “?” “Oi, tudo bem, quanto tempo né?!” Ou simplesmente um emoji nonsense. Você realmente ta esperando uma resposta ou simplesmente quer que a pessoa lembre de você também? “Só pra ver no que vai dar.”

Bom, não há jeito certo ou errado de se sentir. Tudo depende de como a coisa foi terminando ou foi terminada. Que lado escapou mais fácil? Às vezes nem se quer podemos saber. Como se recuperar disso? a) Ou você esquece de vez e aprende a lidar com os lapsos de memória que vão vir na sua cabeça uma vez por ano e depois com menos frequência b) Você se move e vá atrás da pessoa, pede pra recomeçarem seja lá o que tinham c) Segura o coração e fica se remoendo e sofrendo e sua vida vai parando por causa disso e você vai ficando cada vez mais infeliz por uma pessoa que provavelmente não está nem aí. Nada acontece por acaso. Quem sabe daqui um tempo com a reviravolta que a vida dá novamente não passam de estranhos para conhecidos? Afinal, não é assim que todos começam?

UP!