Escrito na Madrugada | Filmes, séries, comportamento e um infinito mais! - Part 3
13mar 2016

O Último Passageiro – Resenha

Postado por às em Livros, Resenhas

Um mistério, elementos sobrenaturais, uma bela sinopse e um autor que já havia me surpreendido no passado. Essa era a combinação perfeita para elevar minhas expectativas em relação ao livro “O Último Passageiro” de Manel Loureiro às alturas. Loureiro é responsável por uma de minhas mais gratas surpresas no mundo da literatura, a série “Apocalipse Z” que conta a infestação zumbi mais completa que já tive o prazer de consumir.

essa

O livro lançado em 2014 pela editora “Planeta do Brasil” tem como principal plot a história de um grande navio de passageiros da década de 1930 que foi encontrado a deriva pelos tripulantes do rebocador “Pass os Balaster”. O navio, chamado de “Valkirie” estava completamente vazio a não ser por um misterioso bebê judeu encontrado solitário em meio a pista de dança do salão de festas do navio, a comida estava recém servida e apesar disso, nenhuma outra pessoa foi encontrada a bordo do Valkirie.

Após contar como foi o encontro do Pass of Balaster com o Valkirie, somos trazidos para o presente onde Loureiro nos apresenta a personagem de Kate Kilroy, uma jornalista espanhola que vive nos Estados Unidos, cujo marido falecera a poucos meses. Kate, que até então não cobria nada além de eventos sociais e colunas de fofocas, vê-se envolvida em meio a história do Valkirie graças aos documentos e anotações de seu falecido marido. Um magnata, Isaac Feldman comprou o Valkirie e o estava reformando para que o navio pudesse voltar a navegar em todo seu esplendor.

Kate, entre uma investigação e outra acaba sendo convidada para integrar a nova tripulação do Valkirie para documentar os fatos e escrever sobre a história para o jornal em que trabalhava. Feldman tem por intenção (devido a interesses particulares que não revelarei) tentar reproduzir a última viagem do Valkirie para talvez acontecer o mesmo que aconteceu em 1939 quando o navio foi encontrado a deriva.

Feldman é judeu, o navio é da época da segunda Guerra Mundial e pertencia a Alemanha, toda sua tripulação era nazista lá em 1939. Preciso dar um ponto positivo para Feldman que é de longe o melhor personagem do livro, sua motivação é legítima principalmente após revelado quem de fato ele é. Toda essa trama parecia extremamente promissora e a introdução do livro é de arrepiar, me senti lendo um grande clássico do terror como “O Iluminado” por exemplo.

Só que não é bem assim, não.

Durante quase metade do livro, acompanhamos Kate investigando Feldman, interrogando o único tripulante do Pass of Balaster que ainda vivia e tentando entender o grande mistério por trás de toda aquela bizarrice até que Feldman a convida para sua viagem. Kate acompanharia Feldman e uma grandiosa equipe de cientistas e seguranças a bordo do Valkirie.

É preciso ressaltar que o livro possui momentos excelentes, de real tensão, mas é incrível como Loureiro se perde por aparentemente não conseguir manter o tom da história por muito tempo. Muitos acontecimentos são simplesmente não relevantes para a trama, a personagem de Kate é uma das mais sem graça que eu já pude “conhecer”. A conveniência de te trazido a urna com as cinzas de seu marido consigo e ele ser o único que podia ajudá-la em sua aventura me incomoda. As motivações das “forças das sombras” são estranhas, meio incompreensíveis e até no final quando toda a intenção dos vilões são apresentadas, o sentimento de “tá, mas falta coisa aí” ainda persiste. Para mim, o melhor elemento de toda a história é a junção de duas linhas temporais diferentes, a nossa atual e a de 1939. Os personagens alternam mesmo sem querer entre esses dois tempos, o que aumenta o dinamismo e nos vai contando um pouco da história do Valkirie sem que esta precise ser narrada por alguém.

essa também

Todos os personagens de maior importância acabam sendo mais desenvolvidos do que a protagonista, e a maioria deles acaba passando por “transformações” ao longo da viagem, a escuridão os acaba possuindo e eles tornam-se os passageiros do Valkirie de 1939.

É de fato uma história carregada de mistérios e que pode prender pelas cenas de tensão, mas toda a relação de Kate com o marido morto e a resolução de todos os mistérios são simplesmente fracas, além do fato de que a última linha do livro conseguiu me dar um sentimento de raiva tão profundo que não consigo sequer descrevê-lo.

Não me arrependo de ter retomado a leitura depois de desistir dela com o livro pela metade. Talvez o problema comigo tenha sido as expectativas não atingidas, quem sabe se eu não estivesse esperando nada, até que a experiência pudesse ser mais proveitosa. O fato é que “O Último Passageiro” em nada me lembrou as boas sessões de leitura que tive com “Apocalipse Z”.

02fev 2016

ESPECIAL DE 1K NO CANAL + SORTEIO

Postado por às em Blog

mil inscritos

Nestes 2 anos de blog e 1 ano com este canal, muitas coisas legais já aconteceram. Mas nesta quarta-feira, dia 20 o canal completou MIL INSCRITOS. Vocês não têm noção da minha FELICIDADE!! 😀 Pra alguns pode parecer pouco, mas eu acho super válido comemorar cada um que entra no Escrito Na Madrugada e aperta no botão “inscrever-se”, pois isso significa muito pra quem tá produzindo o conteúdo. Significa que você curtiu o conteúdo, que ~me curtiu~ 😉 kk, e que espera ver coisas boas e acompanhar! É muito legal!

Aliás, toda a interatividade que rola a cada vídeo é que deixa tudo mais divertido. É um prazer responder os comentários seja no canal, no face do blog, no instragram, ou até mesmo quem vem falar diretamente comigo no twitter, e-mail (contato@escritonamadrugada.com) e snapchat (camilatrida). Recebo toda e qualquer forma de carinho e isso já é o suficiente pra continuar fazendo posts, trazendo coisas legais e pensando ainda mais no canal!

Muitos de vocês não imaginam como é “difícil” e ao mesmo tempo prazeroso escrever posts (onde muitos deles eu me abro inteiramente e me exponho de certa forma que… Muitos não teriam a coragem. Eu ainda não sei se tenho haha), gravar vídeos (faça chuva, faça sol – ou MUITO calor!), editá-los (demoro muito tempo nisso, #socorro), atualizar as redes sociais e viver. OMG! HAHA

Como vocês são importantes pra mim, gostaria muito que dividissem suas mais sinceras e carinhosas opiniões sobre o blog e suas outras mídias, sugestões de posts e vídeos, para que cada vez mais eu possa melhor com tudo isso! Eu ficaria muito feliz 😀

Assista o vídeo e saiba um pouco mais:


Mas agora, vamos ao que interessa (mais) neste post!! Caraca, eu tava há muuuuuuito tempo guardando essa belezinha aqui pra poder sortear entre as pessoas queridas que se inscrevem no canal! O livro sorteado será o “Meu Universo Particular“, autografado pelo autor Frederico Elboni! 😀 😀 😀  Dá uma olhada:

Meu universo particular Meu universo particular Meu universo particular Meu universo particular Meu universo particular

Para participar do sorteio você deve fazer e completar todas as ações da caixa em azul claro do sorteador ali em baixo. As ações são: Curtir a página no Facebook, Compartilhar a imagem (em modo público no seu perfil) e ser Inscrito no canal!! (Os links estarão no sorteador também.) Para saber que você completou as tarefas propostas, um sinal de ✓ “correto” ✓ deverá aparecer e as marcações estarão mais “apagadas” como no exemplo: Imagem. Leia direitinho, siga todos os passos, clique em “PARTICIPAR”, cruze os dedos e pronto! 🙂

a Rafflecopter giveaway

Caso haja mais dúvidas há esses dois posts 1 & 2, que podem esclarecer algumas delas! Se aiiinda não souber como fazer, entre em contato comigo pelas redes sociais!! 😀 Neste caso, sugiro a maneira mais eficiente: Twitter! Agora, para a parte de regulamento…

REGULAMENTO

SORTEIO

– O sorteio está sendo organizado por Camila Tridapalli afim de presentear um leitor do blog/assinante do canal Escrito Na Madrugada.

– O sorteio acontecerá até o dia 27/02/2016. E o resultado será divulgado entre o dia 27/02/2016 ao dia 29/02/2016.

QUEM PODE PARTICIPAR

– Poderão participar deste sorteio qualquer pessoa física, portadora de CPF regularizado, residente e domiciliada no Brasil.

COMO PARTICIPAR

Para participar do sorteio você deve fazer e completar todas as ações da caixa em azul claro do sorteador Rafflecopter acima, ainda neste post. As ações são: Curtir a página no Facebook, Compartilhar a imagem (em modo público no seu perfil) e ser Inscrito no canal. (Os links estarão no sorteador também.) Para saber que você completou as tarefas propostas, um sinal de ✓ “correto” ✓ deverá aparecer e as marcações estarão mais “apagadas” como no exemplo: Imagem. Leia direitinho, siga todos os passos, clique em “PARTICIPAR”, cruze os dedos e pronto!

PREMIAÇÃO

– Um exemplar de “Meu Universo Particular”, lançamento de 2015 pela editora Benvirá, autografado pelo próprio autor  (Frederico Elboni), fornecido por Camila Tridapalli.

– O prêmio é individual e intransferível e em hipótese alguma poderá ser trocado por outro produto/prêmio ou convertido em dinheiro.

– O contemplado com o prêmio receberá um e-mail, e deverá responder com seus dados completos (Nome, endereço completo, telefone) em até 72h a partir da divulgação do resultado, ou perderá o prêmio e será feito novo sorteio.

– A entrega do prêmio será feita via Correio e restrita ao território nacional. Endereços de outros países não serão aceitos e podem implicar na eliminação do participante.

– O prazo de envio do prêmio é de até 30 dias corridos.

– Não nos responsabilizamos por danos, extravio, ou problemas com o endereço de entrega, ocorridos nos serviços dos Correios.

DISPOSIÇÕES GERAIS

– Ao participar do Sorteio, o participante manifesta sua total e incondicional aceitação a este Regulamento.

– As dúvidas e qualquer situação não previstas neste Regulamento serão analisadas.

– Qualquer desobediência a um ou mais critérios definidos no presente Regulamento constituirá fundamento para desclassificação do participante.

– Os participantes isentam Camila Tridapalli, por falhas na transmissão eletrônica de seus dados e/ou das respostas e/ou por falhas de qualquer natureza verificadas, durante o período do Sorteio, nos meios de comunicação, de rede ou dos computadores, hardware ou software, bem como por quaisquer danos verificados ou por aqueles fatos decorrentes de caso fortuito ou força maior.

– Os vencedores autorizam, pelo prazo de 5 (cinco) anos, a contar da data da divulgação do resultado final do Sorteio, o uso de seu nome, sua imagem e voz para a reprodução e/ou exibição em quaisquer meios de reprodução e/ou exibição de imagens e/ou sons existentes, em quaisquer territórios do mundo, sem restrições de espécie alguma quanto ao número de exibições e reproduções, sem que quaisquer valores sejam devidos pelas Partes ou para as patrocinadoras e suas afiliadas, seja a que tempo e/ou a que título for. As Partes não estão obrigadas a usar os direitos mencionados no presente item.

– Camila Tridapalli reserva-se o direito, a seu critério exclusivo, de cancelar, encerrar, modificar ou suspender o sorteio a qualquer hora, por qualquer motivo que seja, sobretudo em caso de irregularidade ou fraude que afete qualquer etapa do sorteio, com relação ao cadastramento, indevida obtenção ou envio de respostas relacionadas ao sorteio por parte de qualquer participante.

SORTEIO

Espero que gostem da novidade! Qualquer dúvida, me chama nas redes sociais! 🙂 Boa sorte!!

BEIJUUUUUUU!!

27jan 2016

Creed: Nascido para lutar – e fazer marmanjos chorarem

Postado por às em Filmes

O primeiro filme da série “Rocky” chegou aos cinemas em 1976 escrito e estrelado por Sylvester Stallone e faturou três estatuetas do Oscar no ano seguinte, melhor filme, melhor diretor para John G. Avildsen e melhor edição, além de outras sete indicações que acabou não levando.

Apollo-Creed-Rocky

Além de ser uma série com uma das trilhas sonoras mais marcantes da história, Rocky sempre trouxe a tona temas sérios como criminalidade, superação, problemas familiares, financeiros, até a guerra fria já foi pano de fundo para a série com Rocky IV.

anw46mxe

Agora, foi a vez do diretor Ryan Coogler trazer Creed – Nascido para Lutar. Uma homenagem que funciona como remake, reboot, continuação, tudo em um só filme. Aqui Rocky não é mais o centro das atenções, mas sim o Adonis Johnson, filho bastardo de Apollo Creed, rival e amigo de Rocky nos filmes originais. O personagem de Johnson, interpretado por Michael B. Jordan sonha em seguir os passos do pai que morreu antes dele nascer, mas ele se recusa em usar o nome Creed e deseja construir o próprio legado, para isso pede para que Rocky o treine. Jordan convence no papel e mostra todo o talento do jovem ator, além de Sly estar impecável reprisando seu melhor personagem da carreira. Rocky Balboa é trazido à vida mais uma vez com maestria fazendo com que a indicação de melhor ator coadjuvante fosse feita à Stallone, estamos na torcida.

zs97nohb

Minha relação de amor com Rocky vem de berço, não me recordo quando foi a primeira vez que assisti a algum filme da franquia, não lembro se assisti na ordem e muito menos quantas vezes já assisti cada um dos seis filmes (fora Creed) já lançados, mas uma coisa eu sei, foi Rocky que me ajudou a não desistir em muitos momentos da vida (não que ela seja muito longa, mas hei! Cada um com seus problemas) e foi graças a Rocky que sonhei durante anos em ser pugilista, e ainda quero praticar boxe hoje em dia, só para desestressar mesmo.

Mais do que um filme sobre Boxe, Rocky ensinou gerações a não desistir perante o primeiro fracasso, e que mesmo com as derrotas podemos aprender com nossos próprios erros e que quando tentarmos novamente, melhor preparados, o desafio já não será mais tão assustador. Reza a lenda, que em meu último porre eu gritava coisas como “Se o Rocky não desistiu eu também não vou desistir!”, e “O Apollo morreu lutando!!!!! Todos temos nossas lutas!!!” e não duvido que tenha feito isso mesmo, considerando que essa franquia sempre mexeu com meu emocional.

dsqm01kv

Assistir a Creed no cinema, com a companhia perfeita, diga-se de passagem, foi uma das melhores experiências dos últimos tempos. A brincadeira com a trilha sonora que nos deixa na expectativa, aguardando ouvir a clássica música tema da série que toca no momento perfeito, a fotografia impecável, as cenas brilhantemente coreografadas e filmadas com habilidade excepcional, fizeram com que eu voltasse a ter doze anos novamente, dei socos no ar, vibrei e acompanhei baixinho a torcida no coro de “Creed! Creed! Creed!” além de ter sentido um pouco de suor escorrendo dos meus olhos.

oh1xyjcz

Ah Rocky, como foi bom vê-lo novamente.

22jan 2016

16 livros para 2016 [Parte I]

Postado por às em Livros

Mais um ano começa! 2016 vem, para mim, sem muitas promessas mas trazendo grandes mudanças – tenho certeza! Meu gosto pela leitura muda a cada ano, a cada fase que eu passo, cada período de alegria ou de tristeza, mas o amor pelos livros só aumenta. Ano passado completei 22 leituras – sendo a grande maioria delas no 1º semestre do ano. Não sei se 2016 terá o mesmo ritmo mas pelo menos os 16 livros que mais quero ler estão neste post. No começo de 2015, fiz 1, 2, 3 posts sobre 15 livros que leria em 2015. Ok, talvez eu tenha burlado um pouco e deixei a maioria de lado. MAS… Esse ano vai ser diferente, né? HEHE

Bora conferir os queridinhos para 2016 então! Começando com as continuações de séries:

Ps: as # no final de cada título é a numeração de qual ‘volume’ estamos falando. Por exemplo, O casamento da princesa #11. Significa que ele é o 11º da série. 😉 Fechou?!

1 – O casamento da Princesa (O diário da Princesa) | #11

O diário da Princesa - O Casamento

➸ Como falei no vídeo de BookHaul de Dezembro no canal, eu li todos os livros de “O diário da princesa” quando mais nova e tenho certeza que esse só vai trazer a nostalgia de volta ao meu coraçãozinho. Alguém aí já leu?

 O tão aguardado décimo primeiro volume da série que encantou milhões de adolescentes pelo mundo. A série mais amada pelas adolescentes dos anos 2000 está de volta em um romance para os jovens adultos. No novo volume de O diário da princesa, cinco anos se passaram desde que Mia se formou na faculdade — e sua vida anda bem agitada. Ela coordena um centro comunitário em Nova York, continua perdidamente apaixonada por Michael e está sempre cheia de compromissos reais na agenda. E por falar em compromisso… A imprensa não perde uma oportunidade de maldizer a vida do casal. Por que não se casaram até hoje? Existe outro pretendente? Como a família real permite que ela passe as noites fora de casa? Os paparazzi vivem atrás da princesa, mas ela tem outras prioridades. Até passar um fim de semana romântico com seu amor nas Bahamas. Será que chegou mesmo a hora do “felizes para sempre”?

2 – Cidade das Cinzas (Instrumentos Mortais) | #2

Cidades das cinzas

➸ Fiz um unboxing do Box maravilhoso de Instrumentos Mortais, e não preciso nem dizer o quão louca estou para ler a continuação e todos os outros livros também né?!

 No mundo dos Caçadores de Sombras, ninguém está seguro. E agora que Clary descobriu fazer parte do perigoso Submundo, sua vida nunca mais será a mesma. Jace, seu recém-descoberto irmão, está cada vez mais impossível, e não parece medir esforços para enfurecer a todos. E sua atitude de bad boy não ajuda em nada quando, após o roubo do segundo dos Instrumentos Mortais, a Inquisidora aparece no Instituto para interrogá-lo… Agora Jace é suspeito de ajudar o pai, o perverso Valentim, num plano que vai colocar em risco não só Idris ou o Submundo, mas toda a cidade de Nova York. E Clary não pode deixar de se perguntar: será que as ironias de Jace são só uma forma de chamar atenção, ou também pode haver uma traição por trás de tanto mistério?

3 – Tocada pelas sombras (Academia de Vampiros) | #3

Beijada pelas sombras

➸ Mais uma continuação maravilhosa de uma série maravilhosa. Cara, to amando todo o universo de Academia de Vampiros – eu que tinha achado que tinha me cansado dessa temática! Volta pra mim, Rose!

Rose Hathaway sabe que é um erro se apaixonar por um de seus instrutores. Lissa, sua melhor amiga e última princesa do clã dos Dragomir, deve vir sempre em primeiro lugar. Rose precisa protegê-la. Mas, infelizmente, quando se trata de Dimitri Belikov, algumas regras parecem existir apenas para serem quebradas. Justamente quando Lissa e Rose veem seu pior inimigo, Victor Dashkov, a um passo de sair da prisão, imagens sombrias começam a invadir a mente de Rose, prenunciando algo terrível à espreita da Escola São Vladimir. A tensão ronda o mundo dos Moroi mais do que nunca. Os Strigoi desejam vingança pelas mortes causadas por Rose em Spokane. Numa batalha de tirar o fôlego, ela viverá seus piores pesadelos ao ter de escolher entre o amor de sua vida e sua melhor amiga. Será que essa escolha significa que apenas um deles sobreviverá?

4 – Perigosas (Pretty Little Liars) | #8

Perigosas - Pretty Little Liars

➸ Faz um tempo que to me enrolando pra continuar a série de Pretty Little Liars, por vários motivos: São +- 12 livros, são carinhos, nunca estão em promoção e… Ok, é só isso. Mas já é o suficiente pra não ser uma das minhas prioridades nas leituras. PORÉM, agora que comprei na troca que fui fazer de alguns livros, tenho que lê-lo, não é verdade?! Sempre gostei da forma que a série é escrita <3 bora continuar esse maravilhoso mistério.

♥  A vida de Spencer, Aria, Hanna e Emily está prestes a virar de cabeça para baixo.
Elas estavam certas: a polícia, a família DiLaurentis e a família de Spencer escondiam segredos aterrorizantes. Agora, a verdade vem à tona de uma só vez, acrescentando à equação já confusa dos mistérios de Rosewood uma personagem que transformará suas vidas, a escola e seus lares para sempre. Este será um novo e surpreendente capítulo na vida de cada uma delas: Hanna agora luta para reaver sua popularidade – não importa o preço. Spencer, pela primeira vez, deixará de pensar que ter uma irmã é um maldição. Já Emily parece ter miraculosamente encontrado o remédio impossível para seu coração partido. E Aria, ainda incerta sobre as recentes descobertas, ao menos acha que encontrou um garoto em quem pode confiar… mas nem mesmo isso ficará intacto. Todos os planos e as escolhas de nossas Belas Mentirosas serão influenciados por uma quinta pessoa. Mas, desta vez, não são as mensagens de A. Neste eletrizante fechamento de um ciclo, os segredos são revelados do início ao fim. E a antiga amizade das quatro com Alison DiLaurentis será posta à prova: será que as lembranças ternas do passado resistiriam a segredos tão assustadores?

5 – Tormenta (Fallen) | #2

Tormenta

➸ E enfim, Tormenta. O segundo na série Fallen (também fiz unboxing do Box), que eu demorei para pegar e ler, mas já me apaixonei!! Quero ler loooogooo!! *-*

 Quantas vidas você precisa viver antes de encontrar alguém que valha a pena morrer? Como consequência do que aconteceu na Sword & Cross, Luce foi escondida por seu namorado que é um anjo amaldiçoado, Daniel, em uma nova escola repleta de Nephilim, descendentes de anjos caídos e seres humanos. Daniel prometeu que ela estará segura aqui, protegida daqueles que querem matá-la. Na escola a Luce descobre o que as Sombras que a seguiram durante toda a sua vida significam – e como manipulá-las para ver dentro de suas outras vidas. Ainda assim, quanto mais a Luce aprende sobre si mesma, mais ela percebe que o passado é sua única chave para desbloquear seu futuro… e que Daniel não lhe disse tudo. E se a versão dele do passado não é bem como as coisas realmente aconteceram… e se a Luce era para estar realmente com outra pessoa?

 

Esse é o primeiro post de 3, sobre os 16 livros que lerei nesse ano de 2016. Estas foram as continuações de séries que eu tenho aqui em casa, “empacadas” e super-na-lista-para-ler-logo!! São apenas alguns das metas, fora aqueles que eu já comecei e não dei continuação (ai ai ai) – será que eu consigo? HAHA Me desejem boa sorte e aguardem o próximo post sobre as outras leituras de 2016!! 😀

Beijuuuuuuu!

11jan 2016

Uma certa insegurança

Postado por às em Pessoal, Textos

Camila Tridapalli

Sabe, eu não sou muito velha pra poder dizer “tudo o que eu aprendi com a minha vida e essa é a minha verdade”, mas acho justo compartilhar algumas coisas. Talvez, sim, procurando por alguma compatibilidade de pensamentos e sentimentos com alguém; ou procurando por algum conselho que me mude – porque a vida é uma constante mudança, não é?!

Desde pequena uma das coisas que mais me atinge é a insegurança, que em cada fase acabou sendo resultado de algo que me aconteceu. A insegurança oscila, com certeza. Vendo que insegurança é algo totalmente diferente de autoestima, sendo o jeito em que eu ponho confiança nos outros. Autoestima trata-se de uma auto-confiança, me achar bonita, me achar legal, ME, À MIM etc. Com a insegurança eu acabo dependendo de outras pessoas. E, meu caro leitor(a), peço perdão pelo palavreado mas: Depender de outras pessoas é se foder. Quase que automático. Claro, posso estar sendo drástica. Mas você não pode esperar perfeição de outra pessoa, se você sabe muito bem que não pode dar o mesmo e ser 100% assertivo nas suas escolhas e ações.

Já levei tanto chute nas costas – Sim! Nas costas, na covardia! Pois a insegurança partiu da inocente confiança inicial que eu depositei em nas pessoas e a terrível quebra da mesma. Às vezes nem me surpreendo mais. Já é meio que certo que você ta aqui, ta com aquele ali, tá com aquele lá. Pode me amar aqui e me checar com nojo quando eu der as costas sorrindo pra você. Certeza.

Parece que é algo em que eu não posso mais controlar. Simplesmente aquela coceira no estômago me vem junto com pensamentos e ideias que podem estar bem longe da realidade. Por isso, quando está tudo errado eu tremo, quando tá tudo certo, também. Nem a comum citação “As pessoas são inocentes até que se prove o contrário”, cabe às minhas percepções. Meu limite de confiança parou no 70%. Tenha certeza que se eu digo “confio em você”, é nesses 70% que estou falando. Não exija mais de mim. É meu escudo, minha forma de não ter mais que passar por certas coisas e depois me arrepender de confiar 100% nas pessoas.

HAHAHA E eu ainda tenho a inocência – ou seria burrice? -, de pedir que me digam sempre a verdade. “Por mais dolorosa que possa ser. Sempre a verdade. Não minta, não oculte.” Novamente, eu tento. Às vezes alivia e ajuda a conseguir aquela capacidade ‘total’ de 70% de confiança que eu posso depositar em alguém.

É o meu jeitinho.

Agora tenho sempre um pé atrás. Talvez os dois. Cheguei no meu limite.

UP!