Descreva Um Lugar | Escrito na Madrugada

/ descreva um lugar

29ago 2017

#30DiasDeEscrita – Day 1: Descreva um lugar

Postado por às em Pessoal, Textos

YEY!!! Vi esse desafio no pinterest, eu ando super empolgada e não resisti: QUERO FAZER! Bora?! Não sei se vai dar pra ser todos os dias, PORÉM… Escrever 30 textos já vai ser muito legal né? Pra mim e para o blog. Espero que vocês gostem.

 

Day 1 – Descreva um lugar

Na parede aproximadamente 10-15 polaroids penduradas por pisca-piscas. Luzes fazem ela feliz, seus olhos brilham.  Nas fotos momentos que a marcaram de forma inexplicável, muitas delas substitutas de lembranças que doem demais para permanecerem no local. Em sua escrivaninha o computador (vulgo “vida”) que batalhou tanto para conquistar, um C bem iluminado e um abajur de unicórnio rosa. A mesa vive bagunçada de cadernos, canetas para escrever e desenhar, chá e remédios. A cima, uma TV quase inutilizada.

Na estante branca em forma de cristaleira à esquerda, alguns livros ganhos, livros lidos, livros pra ler, bichinhos de pelúcia, Pop Funkos e fotos. Do lado direito sua primeira estante, vermelha como ela, amorosa e acalentadora como ela. Cheia de livros, cadernos, manuais e lembranças. Dois filtros do sonho que ganhou de duas amigas especiais anos atrás. Ela sente saudade.

Continuando o sentido horário sua porta preta tem história, assim como a parede cheia de recortes de revista, fotos antigas, letras de música, desenhos e todas as formas que ela pudesse se expressar ali. Como uma tatuagem. Seu armário com roupas que coleciona e outras que não consegue se desfazer. Seu espelho de meio corpo que não enxerga o certo, suas bagunças de penteadeira – maquiagem, perfume, remédios… Sua cama, geralmente decorada com muitos cobertores (sente tanto frio!) vermelhos. A parede em cima da mesma muito bem pensada e feita com muito amor. Molduras com ou sem artes, espelhos. Tudo que representa uma entrada, uma saída, a exposição da verdade.

A prateleira em forma de “jogo da velha” com seus CDs mais antigos, livros didáticos de Design e criatividade, mais algumas fotos. Sua mesa de cabeceira branca, um abajur que detesta e alguns itens essenciais e claro… Remédios. Suas cortinas vermelhas cheias de personalidade.

Ao cheiro das velas cítricas, ao som de “Ice Dance – Danny Elfman” (trilha sonora de um dos seus filmes preferido), na cadeira desconfortável, envolta do seu mundo, da sua forma de expressar, dos seus remédios, de todas as coisas diferentes que possui (não tem nada normal aqui) e de sua cabecinha cheia de ideias.

Yep.

Meu mundo.

Músicas: “Ice Dance – Danny Elfman” (Eu sei que pode ser errado mas gostaria de ser enterrada ao som dessa música D: )

“Intro – The XX”

UP!