Age como se me conhecesse | Escrito na Madrugada
14maio 2015

Age como se me conhecesse

Postado por às em Pessoal, Textos

Madrugada

 

Você age como se sentisse falta.

É, de mim. De falar comigo. Mas nunca sequer comprovou isso, certo?

Pois é.

Não aparenta fazer muita questão, então não sei por que age como se me conhecesse, também.

Mal sabe que eu amo ler. Que meus melhores amigos têm sido os livros. E que tenho me tornado viciada em comprá-los, querê-los, etc.

Que eu não canto mais no chuveiro… E em lugar nenhum. Nem na frente do espelho.

Não sabe que eu to me encorajando a ler mais em inglês porque o sonho de ir morar no Canadá se intensificou milhões de vezes desde a última vez que conversamos. Na verdade nem sei se te contei sobre esse fato meu.

Não sabe se quer o que eu quero ser, onde quero chegar e provavelmente esqueceu de onde eu vim.

Não sabe quantas vidas já vivi ou quantas eu perdi. Mas é sua obrigação saber disso tudo? Não. Mas deveria saber do mínimo, se quiser fingir que me conhece, que ainda há uma conexão. Não há mais tanta impaciência, imaturidade, indisciplina, aqui. Há sonhos, quereres, poderes, e saberes! Mudou muito desde que você saiu, sabe? Mudou o tanto que deveria, para eu perceber que talvez nem antes mesmo de ir embora, você já não me conhecia mais. E sempre fingiu conhecer-me bem. Quem sabe até na primeira apresentação, você achou que me leu fácil fácil.

Você tava errado o tempo todo. E continua errando achando que me conhece.

Será que um dia essa fingimento poderá se tornar realidade e teremos que parar de fingir que você me conhece? Hm… Não. Não to afim de te deixar me conhecer nem um pouco de mim… de novo.

UP!